Archive | Março 2014

AQUELE ABRAÇO

20140319-065644.jpg

Finalmente decidimos nos encontrar, contendo as expectativas no ar, ao menor toque me despertou, arrepios em todo meu corpo causou.

Deixei-me levar, o toque dos seus dedos em mim, caricias que pareciam não ter fim.

Na praça do Recife antigo fui tua Marisol.

Como num poema, de melodia agradável e energia impecável, nos atamos num abraço.

Gratidão por estar ali, vimos a tarde passar e nossos segredos relembramos.

Sinceras gargalhadas damos.

E, com inegáveis lagrimas nos olhos encerramos o nosso encontro.

Com um gosto de quero mais, com gosto de pecado, mas apesar de tudo, um sincero abraço.

Anúncios

LABIRINTO

Imagem

Acordei com um barulho ensurdecedor que parecia querer estourar meus ouvidos,

pulei da cama, calcei meus chinelos e desci as escadas.

A sala tinha mudado de forma e se transformado num labirinto.

Vi pegadas pequenas no chão e decidi seguir.

Conforme seguia, o calor e o barulho ia aumentando,

Minhas roupas começaram a arder em meu corpo,

Fui me desfazendo delas no caminho, sem me importar com o que poderia encontrar.

Você esperava por mim. Alto e forte. Olhos negros e sobrancelhas grossas.

Escondi meu corpo com as mãos e corei de vergonha.

Ecos começaram a emanar das paredes : vergonha… vergonha …

Você se aproximou. Afastou meus braços que escondia meus seios à mostra, passou uma corda entre eles.

Não consegui reagir. Só olhava seus olhos e a linha em seus lábios esboçando um sorriso.

Você me arrastou até uma cadeira dourada, sentou-me lá.

Torturou-me com beijos e mordidas, provocando ao máximo o que queria esconder.

Gemidos, palavras de ordem que arrepiaram meu âmago, me fazendo vibrar e me contorcer.

A última coisa que lembro foi uma luz e um grande choque que levei.

Acordei no dia seguinte no meio da sala, envolvida entre cordas que não sei de onde vieram.

Nenhum sinal de arrombamento, pegadas ou cadeira dourada. Apenas marcas nos punhos e manchas roxas nas pernas.

Ao levantar-me vejo sobre o sofá um chapéu idêntico ao que você usara no último carnaval.

Impossível de estar ali, uma vez que faz mais de um ano que foi embora e levou tudo contigo,

deixando somente o gozo dos momentos felizes e

lembranças.