Archive | Fevereiro 2014

VAZIO

luz e sombra 6

Sentada num quarto onde a única iluminação é de uma fresta da janela,

sinto um calor dos diabos.

Tiro a roupa e me observo nua  no espelho. Noto pequenas gotículas de suor sobre os seios que já não são os mesmos.

Ergo os braços, vejo os membros manifestarem reação.

Nada de surpreendente nesse ato.

O que me faz pensar, e isso sim me preocupa mais que o tempo que passa,

é o incomodo  que sinto por dentro.  Onde é mais escuro que o quarto onde estou,

e quente como às doze horas de janeiro.

Traço um plano friamente calculado,

em que a razão dominará a emoção a qualquer custo.

E se não for hoje, será amanhã, ou depois de amanhã,

ou quando menos esperar.

Caminho na minha trilha de espinhos e sei que tenho de ser forte,

não mais sucumbir ao meu maior inimigo.

Noto que estas a me observar por aí.

E que me quer. Que me deseja.

Mas como planejo, luto contra ti dia a dia.

Resistir a você  é o meu desafio.

Vejo meus pés sangrarem por conta dos espinhos,

dói.

Porém o vazio dói mais. Só me seguro para não escorregar ao visco do sangue.

Olho para trás e percebo as marcas secarem.

Retorno ao presente,

em mais um dia quente,

com um novo brilho no olhar.

 

MEU VÍCIO

39340

Minha pequena, meu vício,  desatino.

Que bagunça a cabeça e me deixou em feitiço.

Me causa estranheza, porém alívio,

de uma realidade pesada,  que judia e maltrata,

mas me ajuda a crescer.

Penso em ti. Queria você pra mim.

Te abraçar, proteger.

Te encher de prazer, no popular ” botar pra foder”.

Vê-la gritar, vibrar,  se contorcer.

Vivencia-la  me fez  questionar e entender,

A dualidade em seu ser.

A pureza da sua alma e a lascívia do seu corpo.

Vejo em ti algo muito precioso,

que me traz um sorriso sincero.

Em mais um dia de verão, penso em você.

Seja em Veneza ou Vitória,

Me apego as luzes da aurora,

ao passar das horas,

e os beijos que um dia,

irei receber.